A11 Bionic inova com engine neural dedicada para inteligência artificial

2.10.2017

Como era de se esperar com um nova geração de smartphones, o  iPhone X, iPhone 8 e iPhone 8 Plus chegam ao mercado com um novo processador embarcado, o A11 Bionic – o mais poderoso já colocado em um smartphone, segundo a própria Apple.

 

 

 

O chipset A11 Bionic não apenas deixou a concorrência para trás, mas ainda conseguiu ficar muito à frente, superando os top de linha da Samsung e da Qualcomm no teste multinúcleo do GeekBench, além disso desbancou até mesmo o processador Intel Core i5 presente no MacBook Pro deste ano nos testes single-core.

 

Em uma série de testes, o A11 Bionic conseguiu atingir um score médio single-core de 4169 e multi-core de 9837. Quando comparamos o resultado com os de um MacBook Pro de 2017 carregando um Core i5 de 3,1 GHz, o chip móvel fica à frente em alguns destes testes.

 

De acordo com a Apple, o chip dos novos iPhones chega a ser até 70% mais rápido se comparado com o A10 utilizado no iPhone 7 e seu novo chipset inclui 4,3 bilhões de transistores, além de dois núcleos de alta performance – para rodar jogos e renderizar vídeos.

 

Engine Neural

 

“A inclusão do engine neural é uma aposta que fizemos pensando três anos para frente”, afirmou Johny Srouji, chefe da divisão que cria chipsets na Apple. Isso quer dizer que, quando a empresa decidiu criar o A11 Bionic, ainda não havia nenhuma conversa sobre inteligência artificial sendo processada diretamente em plataformas mobile. 

 

Srouji afirma ainda que o novo A11 Bionic realiza até 600 bilhões de operações por segundo para o processamento de tempo real. A engine neural foi criada especificamente para rodar algoritmos de aprendizado e para suporte ao Face ID.

 

Fotos melhoradas

 

Enquanto a câmera do iPhone faz a captura da imagem, o chip A11 Bionic trabalha no reconhecimento do entorno e do ambiente na imagem da fotografia. Com o auxílio da GPU, o novo iPhone está apto a fazer processamento de imagens em tempo real.

 

Um recurso divertido utilizado para demonstrar o poder do chip é o rastreamento dos músculos da face, pela câmera e a transformação dos movimentos em Animojis (emojis animados em tempo real).

 

Eficiência Energética

 

O responsável pelos chips também explicou que processar Machine Learning e inteligência artificial em plataformas mobile é possível em qualquer CPU ou GPU mais avançada de hoje, ou mesmo através da nuvem, que é o caminho mais fácil, mas existe uma razão para ter núcleos dedicados a isso no A11 Bionic. “Para programação e processamento neural, implementar núcleos customizados exatamente para esse tipo de aplicação é muito mais eficiente do ponto de vista energético do que usar uma GPU…”, explicou Srouji.

 

E você o que acha da inteligência artificial processada em dispositivos mobile? Deixe seu comentário.

 

 

Please reload

Please reload

Apple Certified Technical Assistance

Serviços Certificados em reparos Apple

Excelência e Qualidade é na iGO Solution!

Motorola | Samsung | Sony | LG

Atendimento de qualidade, serviço rápido e satisfação garantida, atendemos também outras marcas (sob consulta)

Central de Atendimento


Shopping 5a Avenida

Rua Alagoas 1314, loja 21A , Belo Horizonte, Minas Gerais

atendimento@igosolution.com.br

Tel.: (31) 3018-0055